sábado, 13 de fevereiro de 2010

Polaroid

Clarisse é uma menina alegre
Dança, conversa, namora e vive rindo
Teve problemas de saúde, pega ônibus, o pai sumiu
Mas nunca passou pela cabeça dela
Estar errada nesse mundo

Milena sabe de tudo
Das cotações, da novela, do parafuso do pneu do carro
Analisa tudo, mede, compara, condena
Até ouviu uns conselhos, mas ainda não consegue
Relaxar

Sandra é forte
Lutou pra subir na vida, é respeitada, tem status
Levou golpes da vida e nunca se esmoreceu
Mas até hoje não pode
Perdoar

Léia é dona do mundo
Do alto de seus saltos e nariz empinado
O mundo está a seu serviço
Quem está mal é por preguiça de vencer
Jura que sempre vai se dar bem
Nunca pensou em temer

Mara é ponderada
Uns dias bem, noutros deprê
Tomou os remédios indicados
E agora faz acompanhamento regular
Trabalha, paga contas, tem amigos
Ainda quer desaparecer

Um comentário:

Ana Claudia Pantoja disse...

Claudia escreve.
Ela sabe que é o resultado é medíocre, mas não tem alternativas.
Só aprendeu a fazer isso, a coitada.
Sonha em abrir uma loja de molduras, mas também conhece muito bem a si mesma. Foge de empréstimos grandes como os evangélicos do carnaval.
Pensa todo dia em cortar os pulsos, mas acaba deixando sempre para amanhã. Tem ascendente em câncer.

Adorei.