sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Resumo

É minha cara. Tem dias que eu concordo com você: Tá foda! Ou, como dizem os espertinhos de plantão, se fosse foda pelo menos era bom!
Seu emprego é um saco, mas nem é esse emprego. Você já cresceu o suficiente pra aprender que saco mesmo e ter que trabalhar. Mas pior ainda é ficar desempregada. "Deuzulivre"! Você ganha uma merreca, sabe que a merreca é alta em relação ao salário da maioria dos brasileiros e vê os afortunados com Q.I.s e costas-quentes dançando felizes, dando cambalhotas, fazendo estripulias e palhaçadas na sua cara. Deve ser pra rir, você que não entendeu.
Pra sair dessa merda, você tem que ser otimista, obstinada, ter força de vontade, muita garra e fibra. Acredite em você! E estude, rache a cara de estudar. Não importa o quanto você está cansada ou sem a menor paciência pra decorar um código que ninguém segue. Só que você precisa disso pra ser mais feliz, você acha, ou pelo menos aposta que isso te deixaria mais rica e, consequentemente, mais feliz. Você já gastou dinheiro, pagou a primeira parcela (e tá fazendo falta esse valor), mas ainda tem outra parcela mês que vem. Respire...
E quando chega o fim de semana, você não tem ninguém esperando pra ficar o dia todo com você ou pra, finalmente, passar mais de quinze minutos na sua companhia. Você ficou animada com um convite, mas era brincadeira daquele cara que você sempre foi afim. Engraçado ele né? Tão espirituoso...
E pra completar tudo você se lembra que não tem tempo de malhar e não tem ânimo pra fazer um regime. Você não tem força de vontade. Você é fraca e tem fixação na fase oral (seu futuro começou a ser arruinado na tenra infância, sinto muito).
Resumindo, você deve lembrar na sorte que tem por estar viva e com saúde. Você mora em um país sem terremotos, tsunamis ou vulcões. O que é um deslize aqui, outro ali, dos seus governantes, aqueles caras que distribuem de forma esquisita os (muitos) impostos que você paga. A população fica na miséria e você pode ser assaltada, estuprada e morta porque é burra e não tomou cuidado.
E você nem tá pedindo arrego... Só quer que não te encham muito o saco hoje (pq você pode estar menos realista amanhã). Na verdade, você queria uma mãozinha do mundo, do destino, dos céus, dos outros, seja de onde for, pois você realmente acha que se esforça bastante e não merece as coisas desse jeito. Mas você não pode admitir isso, afinal, seria covardia e comodismo não admitir que tudo isso é apenas um resultados das suas ações e, é sim, tudo culpa sua.
Infelizmente, cara amiga, não nada de animador pra te falar e nem tenho bons conselhos (até mesmo porque sei se você está cheia deles). Só queria falar, se é que isso ajuda, que eu te entendo. Mesmo.

3 comentários:

Paulinha Queiroz disse...

Menina do céu. Até parece que minhas frutrações passaram por osmose pra vc. Na parte de ganhar uma merreca, ver os afortunados com Q.I. pintando e bordando e arrumar ânimo pra estudar antes de perder a paciencia e mandar a coisa toda pro raio que a parta, parece até eu falando.
É bom saber que tenho uma companheira de bordo, me conforta rs.

nanda disse...

parece que eu li esse texto há uns 5 anos atrás em outro blog seu... eu te entendo, mas... "acredite em você".

nanda disse...

há uns 5 anos atrás não, só há 5 anos :P