quarta-feira, 5 de setembro de 2007

O que me faz falta não é o teu corpo ou voz. É a presença do sublime. Na vida, as pessoas profundas precisam de conexões, ainda que raras, com algo de superior e mágico, e todo mundo sabe que você tem a sua chave. Te vi de longe semana passada e quis ir te cumprimentar mas não, deixa pra lá. Sabia que num breve "oi" eu não te daria o tempo incerto de deixar escapar ao menos uma minúscula porção daquela mágica que é rara, e, talvez por isso, seja tão capaz de me alimentar por completo.
Por esses dias rasos, me consolo com meus suspiros e com a certeza de que ainda seremos intensos juntos, não sei como, nem onde, mas sei.

Um comentário:

nanda disse...

vc quem?!!!!
a-há... td mundo tem um "mundo mágico" não é mesmo...